Incêndios em casas e apartamentos são, infelizmente, mais comuns do que imaginamos. Às vezes são apenas queimas focais, como em uma tomada, mas, em alguns casos, tomam proporções gigantes, comprometendo todo o imóvel e outros da vizinhança. Há ainda os causados por bares e restaurantes que ocupam o térreo dos condomínios residenciais. Desde o início da pandemia, segundo dados do Corpo de Bombeiros, houve um aumento de 60% nos casos de incêndios nas moradias. Além de fazer este alerta com dicas de prevenção, a coluna também vai apresentar uma ferramenta que faz a simulação virtual de um incêndio em um quarto de hotel, mostrando como funciona o sistema hidráulico de contenção.

Para Cleber Gouveia, diretor técnico da Roggo Fire, empresa especializada em prevenção de incêndios, ainda falta muito conhecimento à população sobre os perigos existentes em casa quando o assunto é prevenção e combate a incêndios. “Em geral, muitas pessoas pensam que o imóvel pega fogo apenas quando há uma rede elétrica antiga ou quando acontece uma tragédia maior, como explosão de tubulação de gás”, pontua Cleber. Sobrecarga elétrica e mau uso de eletrodomésticos também fazem parte da lista de risco.

De acordo com Gouveia, a melhor maneira de evitar incêndios residenciais é a prevenção. “Se as pessoas começarem a realizar manutenções preventivas em casa, especialmente, na parte elétrica, haverá uma redução no número de casos”, explica Gouveia.

Confira as dicas para prevenção

– Aquecedor, ferro de passar roupa, chuveiro elétrico e torneira elétrica devem ser usados de maneira responsável e, se possível, evitar ligar todos ao mesmo tempo, pois podem sobrecarregar a rede elétrica da casa;

– Faça uma verificação periódica das condições do sistema elétrico da sua residência. Fios, disjuntores e tomadas devem ser averiguados para que não haja superaquecimento ou eventuais fagulhas que poderão provocar um início de incêndio;

– Usar no-break pode ser uma boa solução em caso de oscilação de energia;

– Ao trabalhar na cozinha, nunca deixe as bocas do fogão acesas sem uso;

– As mangueiras e o registro de gás têm validade, por isso, faça a verificação periodicamente e substitua por uma nova. Além de ser seguro, esse cuidado pode trazer economia;

– Antes de utilizar um equipamento, verifique se a sua voltagem é compatível com a da tomada;

– Nunca deixe o celular, tablet ou notebook carregando sobre a cama;

– Não atenda o celular enquanto ele estiver carregando.

Sobre a manutenção dos equipamentos

– As placas de sinalização de emergência devem ser limpas e verificadas quanto ao seu estado de integridade todo mês.

– As luminárias de emergência precisam ser testadas através do botão de teste da própria luminária uma vez por mês para verificar seu funcionamento e semestralmente devem ser tiradas da tomada durante 1h para verificar o estado de sua bateria.

– Esses equipamentos devem atender às especificações do manual de instalação e manutenção fornecido pelo fabricante.

– Com relação aos extintores, eles precisam ser entregues a uma empresa credenciada no Inmetro, no Crea-RJ (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) e no CBMERJ (Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro) para recarga anual e verificação das demais manutenções.

– As mangueiras dos hidrantes devem passar por ensaio hidrostático realizado por empresa credenciada no Inmetro, no Crea-RJ e no CBMERJ pelo menos uma vez por ano.

Alerta para bares e restaurantes no térreo

Outro alerta é para os condomínios que contam com bares e restaurantes no térreo, ou seja, muito próximos às suas estruturas. Neste caso, eles precisam estar atentos aos cuidados e às prevenções necessárias. A gerente Geral de Gestão Predial da Estasa, Anna Carolina Chazan, explica que esse tipo de comércio embaixo de prédios residenciais é sempre motivo de apreensão entre os condôminos. “Algumas das preocupações envolvem a responsabilidade legal como a obrigatoriedade de ter alvará, licença da prefeitura, existência de projeto de combate a incêndio, pois em muitos casos as lojas apesar de pertencerem à edificação, não estão diretamente ligadas às questões condominiais, fazendo com que haja uma resistência por parte dos proprietários em apresentarem a documentação”, enfatiza Anna Carolina. Ela ressalta ainda que é importante que os síndicos exijam a apresentação de tais documentos, visando garantir que o estabelecimento esteja legalmente constituído e com toda a instalação necessária para proteção em caso de acidentes.

Curiosidade: incêndio virtual

Presenciar um incêndio e ver como funciona um sistema hidráulico de contenção não é comum e, muito menos, algo que as pessoas desejam. Porém, um projeto desenvolvido pela RD3 Digital para a Amanco Wavin permite a visualização exata do funcionamento deste tipo de procedimento, com toda a segurança e na palma da mão.

A empresa, voltada para a produção de Realidade Aumentada (RA) e de Realidade Virtual (RV), desenvolveu para a linha Fire da marca, uma ferramenta capaz de simular um incêndio em um quarto de hotel, por exemplo, e como os tubos e conexões da Amanco podem intervir para resolver o problema. Tudo em escala real.

Fonte: https://odia.ig.com.br/colunas/panorama-imobiliario/2022/05/6399453-como-prevenir-incendios-nos-imoveis.html